sexta-feira, 30 de maio de 2008

Pena de morte

A notícia http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Internacional/Interior.aspx?content_id=95024, que ilustra bem a irreparabilidade de um erro judicial, em caso de aplicação da pena de morte, é mais um trunfo irrefutável contra tão primitiva e hedionda forma de "justiça".

Muito embora a aplicação da pena de morte e da pena de Talião tenham sido práticas ao longo de vários séculos, até por povos que se diziam defensores da Fé Cristã, incluindo a própria Igreja, não há dúvida de que contrariam e ofendem gravemente a doutrina libertadora de Cristo.

Ninguém tem o direito de tirar deliberadamente a vida a um ser humano. É punir um suposto crime com outro!

Por outro lado, onde está o castigo em acabar com o sofrimento do condenado?

Se querem um castigo exemplar para quem se considera irrecuperável (acredito que os há), têm o recurso a prisão por longo tempo com trabalhos forçados. Isso tira a vontade de voltar à prisão e serve de exemplo aos outros.

1 comentário:

ewelyne disse...

Acredito também na filosofia de que punir um crime agindo de maneira igual ao delator não é a melhor saida.........
E tomara q seja tão simples assim fazer com as pessoas sejam punidas, como vc falou........Mas acho q deveria ser acrescentado o acompanhamento psicológico em todos os casos!!!