quarta-feira, 7 de maio de 2008

Correcção

No dia 10 de Janeiro escrevi um post a agradecer ao sr. Primeiro-Ministro o facto de só ter 1.65% de aumento, o que muito contribuiria para a salvação da minha alma.

Estranhando não ser aumentado até Abril, fui ao site da C.G.A., onde li a legislação o concluí que afinal o meu aumento este ano é zero, nada, népias, a ponta dum corno.

Vi ainda que não se trata de um decreto-lei, da responsabilidade do governo, mas de uma lei, da responsabilidade da Assembleia da República, dos tais senhores a que bastam 12 anos de trabalho para terem a reforma por inteiro.

Agradeço-lhes muito o terem estabelecido que os pensionistas e reformados só têm aumento a partir do segundo ano após a aposentação e, mesmo assim, com um processo tão complicado que depende dos valores de inflação e PIB que o governo queira publicar e, ainda assim, se não prejudicar o princípio da estabilidade orçamental, o que se poderá arguir a qualquer momento....

Assim, não só terei um desconto mais substancial nos meus pecados, como me arrisco mesmo à santidade!

Queria agradecer pessoalmente, mas não sei quem foi a mente iluminada (eu não disse o cabrão!) que teve a ideia....

Publico o link do site da C.G.A. para que não haja dúvidas....

http://www.cga.pt/FAQ_Aumentos_2008.pdf

2 comentários:

ewelyne disse...

Eu achava que a ponta dum corno valia um pouco mais do que zero, pois é algo que se expõe em alto relevo, pelo menos na teoria deveras ser... kkkkk. O que deverá então fazer essa classe, que cresce a cada dia mais? a quem recorrer de tais direitos que além de serem difamados não tem se quer nenhum valor!

Guimaraes disse...

Ewelyne

Trata-se de uma expressão idiomática de Portugal, sendo o "corno" o apêndice frontal de certos animais e não o "enganado" a que se refere.
Quando está aquele nevoeiro cerrado ou uma grande escuridão, diz-se: - Não vejo a ponta dum corno!